quinta-feira, setembro 23, 2004

Prima di andare via, spero che balli un po' con me

Sabe quando você sente que está pra mudar muita, mas muita coisa na sua vida? Aqueles momentos em que nada, mas nada mesmo será como antes? Eu me sinto num momento desses. Ao mesmo tempo, sinto como se cada dia fosse um momento desses.

Sabe quando você passa por um momento dificil? Briga com amigo, perde uma vaga de estágio, termina namoro, prova final, comeram o último pedaço do bolo e não foi você? Eu sinto como se estivese passando por um momento desses, mas não exatamente agora. Pra mim é como o mar (ai, que clchê). As vezes têm uma onda que bate, e você sente toda a emoção desses momentos. Depois a onda vai e pronto. Então a dor vai e volta. A lembrança não me deixa.

Tenho frases o suficiente pra escrever um post. Dessas frases de psicologia de revista pra nos animar! "Quem quase vive já morreu." "Nunca é tarde para ser quem poderia ter sido" e por aí vai...

Mas eu sinto que é um momento importante, de construção. Mas também vejo muitos frutos do que já plantei. Minha regra agora está sendo não me violentar. Fazer aquilo que me faz feliz sendo íntegra comigo mesma!! E ao mesmo tempo ser crítica, sem ser carrasca. Tendando ver, reconhecer e evitar um monte de defeitos que eu tenho. Orgulho, inveja, preguiça, falta de atenção, falta de coragem, possessividade, entre outros. Tentando entender e aceitar as pessoas, mesmo que não as compreenda. Tentando aceitar os fatos que a vida nos impõe e não há nada que possamos fazer, a não ser olhar pra frente e caminhar. Aquelas coisas que não podem ser evitadas, pois não se pode prever, não se pode fugir.

O momento também é feito de coisas alegres. Li um email muito lindo hoje! De uma amiga muito querida. No seu email ela expõe todo o amor que possui pela vida e fala das marcas que temos. Na verdade ela pede desculpa àqueles que ela tenha machucado em qualquer momento. Diz que não havia a vontade concreta de fazê-lo, mas que seus atos culminaram nisso. Então, delicadamente, diz que não se arepende de nada e de certa forma é até feliz por tê-las feito. Pois as marcas podem doer quando estão sendo feitas, mas são delas que nós nos construimos. São essas marcas que nós olharemos no futuro. Dessas marcas são feitas nossas vidas e ela estava feliz por ser parte, ou ter feito, muitas das marcas daquelas pessoas citadas. Isso me fez entender, gostar e aceitar minhas proprias marcas.

P.S.:Eu ando sem paciência para escrever em inglês também. Mas desse post não passa