quinta-feira, dezembro 09, 2004

João amava Teresa que amava Raimundo, que não amava Maria que amava Joaquim que amava Lili, que não amava ninguém.

Desde de pequenininhos a gente aprende que amar é a coisa mais importante da vida. Aí, a gente cresce um pouquinho e nossos ídolos nos dizem pra amar as pessoas como se não houvesse amanhã. Uma coisa que quase nunca nos falam é que temos de aprender a não sermos amados. Todo mund sabe que não se pode agradar a gregos e troianos, então, é lógico que nem todo mundo vai gostar da gente. É uma questão de lógica!

Um grande amigo meu, certa vez me disse, ainda na época da escola; "você tem de parar de querer que todos gostem de você". e eu não dei ouvidos! Já se passaram uns 5 ou 6 anos e só agora eu aprendi. Parece até professor que pega no teu pé. "Não aprendeu a lição? Então vou fazer uma questão só com esse assunto pra você!" As coisas acontecem justamente pra que entrem na sua cabeça.

Pois então, essa é a minha mais nova lição a ser aprendida. Você deve amar ao próximo como a si mesmo, mas não espere que o próximo te ame de volta. A gente não tem como mudar a cabeça das pessoas e mudar o que elas pensam de nós. Não podemos fazer as pessoas crerem que somos legais, gente boa e coisa e tal. Da outra parte, nós temos de aceitar que não agradamos a todos e que não somos sempre visto como bonzinhos.

Eu coloco assim no plural, porque pode ter mais alguém que se identifique com o que eu falo. Mas devem ter tantos outros que já aprenderam esta lição há muito tempo... No meu caso, acho que nunca quis acerditar nisso. Sempre fui tão preocupada em ser lega, boazinha, que como consequência todos deveriam gostar de mim. Nunca fui de ter inimigos na escola. Nunca gostei de brigar, sempre opto por atitudes diplomáticas. Como boa leonina vaidosa, não admitia a idéia de pessoas que não gostassem de mim, mas finalmente aprendi ess a lição.

Cecília/Ciu